Arquivo de dezembro, 2013

“…aos que dantes chamou”

viva seu chamado

Ao abraçarmos a fé, damo-nos conta do infinito amor que nos atraiu. Não importando a circunstância, o Plano de Deus em ação nos alcançou e mudou completamente o rumo de nossas vidas e por um bom período desta trajetória nos sentimos inabaláveis, recheados de confiança e superabundantes em coragem realizadora. No entanto, durante algum tempo, pela paixão da conversão, esquecemo-nos de considerar os Planos e os desígnios de Deus para conosco e que ao invés de um convite por mala-direta, recebemos sim uma carta registrada e pessoalmente escrita para cada um de nós. Sim, nossa nova vida possui um propósito funcional. Além de obviamente sermos amados por Deus por sermos quem somos, o nosso Pai tem atribuições e responsabilidades diretas para assim nos tornar participantes da sua Obra, elevando-nos da posição de um eterno berçário para o de filhos que assumem suas responsabilidades perante à Casa de seu Pai e estão amplamente comprometidos com os interesses de seu Reino.
Após nos deleitarmos na graça superabundante, precisamos direcionar nossos ouvidos e, com atenção, buscarmos ouvir o que Deus pretende conosco. Passou a festa, consumido o novilho cevado e ao término dos festejos de regresso ou ingresso à Casa do Pai, está na hora de perguntar: “Em que posso ser útil?”. Deus pôs na igreja suas funções e deu talentos a seus servos, mas nestes tempos a congregação tornou-se um centro de convenções e a noção de comum resvalou-se em nomeações, exibições e pura vaidade. O Espírito Santo distribui os dons entre os crentes com o intuito de edificar a Igreja e não para promover os apoteóticos movimentos pentecostais. Jesus Cristo espera de seus discípulos isto: que desejem ser como Ele e não que se pareçam “sósias deformados” com suas interpretações triunfalistas.
A partir daí, é possível perceber que há um motivo claro para muitas pessoas estarem desistindo da vida congregacional: Elas se dirigem à comunidade com o intuito de receber, não de oferecer. Em Atos 2.42 todos tinham tudo em comum, não iam às reuniões cheios de expectativas, eles iam para ofertar de si mesmo o seu melhor “(…)e Deus acrescentava à igreja os que iam sendo salvos”. Ao invés de irem para ter seu o coração aquecido por um cântico, eles ofertavam um cântico, ao invés de irem receber o carinho dos irmãos, eles mesmos estavam dispostos a acolher todos quanto pudessem. No livro do profeta Isaías, capítulo 6, o autor descreve a sua visão, nela havia um Trono, também havia O que sobre ele assentado estava, serafins voavam, ao tatalar das asas dos mesmos tremiam os umbrais das portas do templo, o séquito real do Senhor exibia sua Majestade e toda esta visão destinava-se a abalar a confiança natural e edificar uma confiança sobrenatural, o Senhor montou um Impacto para convidar Isaías a tomar o seu lugar no seu projeto para Israel. Quanto ao amado leitor, já compreendeu que Deus está chamando sua atenção para uma Obra muito maior que a sua rotina congregacional? O tempo do seu chamado é hoje e o momento oportuno é o agora, qual a resposta que você Lhe dará?